sexta-feira, junho 29, 2007

Ever Near, Ever Far

No ano em que completa 30 anos, a Companhia Nacional de Bailado apresenta em estreia, no Teatro Camões, Ever Near Ever Far, coreografia de Heinz Spoerli, inspirada na Sinfonia Nº 5 de Mahler.
Com a Orquestra Sinfónica Portuguesa em cena a servir de fundo ao bailado, Ever Near Ever Far destaca-se pela surpreendente utilização do palco, das luzes e projecções, com os bailarinos a desaparecer pelo fosso de orquestra, surgindo de alçapões iluminados como se nascidos das entranhas da terra. A escolha musical foi irrepreensivel e a adaptação coreográfica da obra de Mahler muito bem conseguida. Continuo a ficar impressionado com a capacidade que a dança tem de transmitir sensações, emoções, conflitos e até pequenas histórias, com uma intensidade que tenho visto alheada do teatro.
Pena é que a Companhia Nacional de Bailado não tenha nos seus quadros um número grande de bailarinos de excelência. Quando estão em palco mais de 30 bailarinos ao mesmo tempo nota-se os desniveis entre eles, principalmente nos trechos de sincronia, em que meio segundo é suficiente para errar.
Convivendo com as suas imperfeições, é no entanto um espectáculo a acompanhar. Está em cena no Teatro Camões até Domingo.



Bilhetes e informações:
Teatro Camões: 21 892 34 77
Ticketline: 707 234 234
www.ticketline.sapo.pt
ou numa loja FNAC.

3 comentários:

polegar disse...

e a Ana Lacerda? estava lá a Ana Lacerda?

suspiro...

espero poder vê-la pelo menos uma última vez antes de deixar os palcos... não voltarão a ser a mesma coisa sem ela...

Rita disse...

Este blog é uma fantástica agenda cultural! ;)

A. disse...

...convivendo com as nossas imperfeições.



naturalmente.



abraço.

A.L.